quarta-feira, 25 de maio de 2016

Santa Maria Madalena de Pazzi - 25 de maio

Vencidas muitas dificuldades, Maria conseguiu entrada no convento das Carmelitas em Florença.

Após a vestição, se prostrou aos pés da mestra do noviciado e pediu-lhe que não a poupasse em coisa alguma, e a ajudasse a adquirir a verdadeira humildade.

Tendo recebido o nome de Maria Madalena, tomou a resolução de seguir a grande Penitente no amor a Jesus Cristo e na prática de heroicas virtudes.

No dia da Santíssima Trindade fez a profissão religiosa com tanto amor, que durante duas horas ficou arrebatada em êxtase.



Santa Maria Madalena de Pazzi dava os seguintes belos conselhos acerca da observância das regras: "Estima as tuas regras tanto como estimas ao próprio Deus; faze como fosses o único que as tem a observar; e se outros cometem faltas, procura suprir aos seus defeitos." Imaginemos. meu irmão (minha irmã), que o nosso santo Fundador (a nossa Santa fundadora) nos repete cada dia estes mesmos conselhos, e cada noite, no exame da consciência, perguntemos a nós mesmos, se ele (ela) pode estar satisfeito do modo como naquele dia guardamos a observância exata. - É o que devem fazer especialmente os que têm cargo Superior, ou estão há mais tempo na Ordem, porque o exemplo destes influi muito, no espírito dos mais novos. É esta também a melhor pregação que um religioso possa fazer aos seus confrades, porquanto, como diz Santo Ambrósio, persuadem mais  os exemplos  que entram pela vista, do que as exortações que entram pelo ouvido: Citius persuadent oculi, quam aures.

Meu Deus, sou eu a árvore que já de há muito devia ter ouvido a sentença do Evangelho: Succide illam. - Cortai aquela árvore, que , não produz fruto, e atire-a ao fogo; para que deverá ocupar mais tempo lugar? Ai de mim!
Há tantos anos que abracei a vida religiosa, fui favorecida com tantos dons para ser santo, e até agora que  frutos haveis Vós, meu Senhor, colhido de mim? - Vós, porém, não quereis que desespere, senão que confie em vossa misericórdia. Dissestes Petiteet accipietis ; buscae e recebereis. Já que tanto desejais que peças graças , a primeira que Vos peço é o perdão de todos os desgostos que Vos dei. Deles arrependo-me de todo o coração, considerando que paguei os vossos benefícios com ofensas e amarguras. A segunda graça que Vos peço, é o  dom do vosso santo amor e a perseverança no mesmo até à morte.. É de sobejo justo que eu ame muito a um Deus que por mim deu o sangue e a vida.
Finalmente, a terceira graça que Vos peço, ó meu Jesus, é que me deis força para guardar de hoje em diante cada regra da minha Ordem, por menor que seja, e para este fim renovo os meus votos. Não quero,  ó senhor, que ainda viva em mim a minha própria vontade, mas unicamente vossa. Fazei-me conhecer pelos meus Superiores o que desejas de mim, e dai-me força para o executar.
Protesto  que Vos quero obedecer à custa de qualquer sacrifício. __ Ó Maria , minha Mãe, falai por mim a vosso divino Filho e impetrai-me a santa perseverança.

Santa Maria Madalena de Pazzi tinha muitos arrebatamentos...
Estes arrebatamentos repetiram-se extraordinariamente, e Deus se dignou de dar à sua serva instruções salutares e o conhecimento de coisas futuras.
 O fogo do divino amor às vezes ardia com tanta veemência que, para aliviá-la, era preciso que lavasse as mãos e o peito com água fria.
Em outras ocasiões, tomava o crucifixo nas mãos e exclamava em voz alta: "Ó amor! Ó amor! Não deixarei nunca de vos amar!"
Na festa da Invenção da Santa Cruz percorreu os corredores do convento, gritando com toda a força: " Ó amor! Quão pouco se vos conhece! Ah! Vinde, vinde ó almas e amai a vosso Deus!"
Desejava ter voz de uma força tal, que fosse ouvida até os confins do mundo.



Fonte : Meditações de Santo Afonso de Ligório

Colaboração Irmã Nilza do Carmo

Nenhum comentário:

Postar um comentário