sexta-feira, 24 de abril de 2015

O Chamado de Nossa Senhora a Santa Beatriz

Santa Beatriz nasceu em 1424, na cidade portuguesa de Campo Maior. Era descendente de família real e se chamava Beatriz da Silva. Foi agraciada com uma surpreendente beleza física e grandes qualidades morais. Foi educada pelos franciscanos, que fizeram brotar em seu coração uma forte devoção a Nossa Senhora. Desde menina Beatriz rezava para que a Igreja proclamasse o dogma da Imaculada Conceição de Maria. A beleza, as virtudes e a devoção a Maria serão determinantes no caminho de Santa Beatriz.

Juventude e mudança para Castela

Quando sua prima D. Isabel, rainha de Portugal, se casou com Dom João II de Castela, Santa Beatriz a acompanhou como dama de honra na Corte de Castela, região que hoje faz parte da Espanha. Por causa de sua beleza, simpatia e nobreza, Beatriz logo passou a ser a preferida e admirada pelos cortejos de todos. Beatriz, porém, cultivava um amor cristão pelas pessoas e não se deixava levar pelas paixões mundanas.

Santa Beatriz: perseguida por causa de sua beleza

A Rainha gostava de saber que sua dama de honra era elogiada e querida por todos. Todos falavam da jovem Beatriz, bela e carismática, atraente e virtuosa. Depois, porém, D. Isabel começou a enxergar em Beatriz uma rival. O ciúme se fez presente no coração da Rainha de maneira irreversível. Tanto que, depois de algum tempo, a Rainha decidiu matar Santa Beatriz por asfixia.
Foi assim que, numa noite infeliz a Rainha levou Santa Beatriz até à parte subterrânea do palácio e enterrou-a viva em um cofre que ficava no local. No pensamento da Rainha, o “problema” estava resolvido.

O chamado de Nossa Senhora a Santa Beatriz

Aparentemente a morte era certa no caminho de Santa Beatriz. No auge de sua angústia, ela encomendou sua alma a Deus e, num ato de amor e compreensão, pediu perdão também pela Rainha. Santa Beatriz sentia muito estar prestes a morrer sem receber os sacramentos, mas aceitou a morte próxima.
Mas aquilo que parecia o fim transformou-se no grande chamado de Santa Beatriz. Aconteceu que, de repente, uma grande luz brilhou naquele cofre escuro e Santa Beatriz viu a Virgem Imaculada com o menino Jesus nos braços. Nossa Senhora vestia hábito e escapulário brancos e nos ombros um manto de um azul celeste. Sobre sua cabeça brilhavam doze estrelas.
Maria, então, disse: “Minha filha, vês os hábitos que trago? Pois bem. No fim de três dias serás livre desta prisão e fundarás uma Ordem religiosa em louvor a minha Conceição Imaculada.

Conversão na vida de Santa Beatriz

Depois de três dias todos começaram a notar a ausência de Santa Beatriz na corte. Então, seu tio D. João de Menezes, procurou a Rainha para perguntar sobre sua sobrinha. A Rainha ficou furiosa com a pergunta do súdito e o levou até o cofre, esperando achar ali um corpo em decomposição.
Quando abriram o cofre, porém, a surpresa: Santa Beatriz estava bela, sorridente e com uma aura celestial iluminando seu rosto. A Rainha ficou aterrorizada. Santa Beatriz ajoelhou-se a seus pés e pediu permissão para sair da Corte e ir para um Mosteiro.
Santa Beatriz partiu, então, para o Mosteiro de São Domingos, em Toledo. Sua meta agora era preparar-se no silêncio e na oração, para a grande missão que Nossa Senhora lhe dera.
Quando Santa Beatriz chegou ao Mosteiro de S. Domingos, cobriu seu rosto com um véu a fim de que ninguém mais se perdesse por causa de sua beleza.

Santa Beatriz e as demoras de Deus

Santa Beatriz passou mais de 30 anos no silêncio e na oração no Mosteiro de S. Domingos. Foi como certas árvores gigantescas que, antes de lançarem um broto acima da terra, aprofundam suas raízes, que ficam escondidas sob o solo. Assim foi com Santa Beatriz.
Depois de mais de 30 anos, Nossa Senhora aparece uma segunda vez a Santa Beatriz. A Virgem Maria ordenou o início da construção de sua Ordem religiosa.

Santa Beatriz funda a Ordem das Concepcionistas

Providencialmente, Santa Beatriz recebeu ajuda da filha de sua adversária, também chamada D. Isabel, com o apelido de “a Católica”. Esta se tornou Co-fundadora e benfeitora da nova Ordem religiosa. Doou para a Ordem os Palácios de Galiana e a Igreja de Santa Fé. Ela mesma pediu e obteve a Bula de Aprovação do Papa Inocêncio VIII.
Assim, em 1484, Beatriz deixou o Mosteiro de S. Domingos e, acompanhada de 12 moças, entrou nos palácios de Galiana adaptados à forma de Mosteiro. Ali começaram a viver a vida monástica. Vestiam hábito e escapulário brancos, manto azul e cingiam-se com o cordão seráfico, como na aparição de Nossa Senhora. Mais tarde, todas fizeram os votos perpétuos.

A morte de Santa Beatriz

Aos 67 anos Santa Beatriz recebeu uma terceira visita de Nossa Senhora. Esta lhe disse:
“Minha filha, prepara-te que de hoje a 10 dias virás comigo para o paraíso”. Santa Beatriz pensa na Ordem nascente e em suas filhas espirituais ainda jovens e, numa prece ardente e fervorosa, implora a proteção de Deus para sua obra. Então o Espírito de Deus a inspirou a colocar a Ordem nascente sob a proteção dos Franciscanos, pois eles eram defensores da Conceição Imaculada de Maria.
Depois disso, Santa Beatriz ficou gravemente enferma. Assim, chegou o dia predito pela Virgem Maria: 09 de agosto de 1491. Deitada no seu leito de morte, Santa Beatriz ainda estava com seu rosto encoberto. Então, uma das irmãs, com muita reverência, descobriu lhe o rosto. Foi uma surpresa maravilhosa para todos. Seu rosto conservava toda a beleza da juventude acrescida de uma aura celestial de paz e felicidade e uma luz sobre sua cabeça.
Todas as suas filhas espirituais, mais seis sacerdotes Franciscanos e monjas Cistercienses que tinham vindo assistir aos últimos momentos de Santa Beatriz testemunharam o milagre. A notícia se espalhou rapidamente pela região e o povo invadiu a clausura  para contemplar a Santa do brilho celestial ainda viva, como se já estivesse glorificada no céu. A luz só desapareceu quando a alma de Santa Beatriz subiu para o paraíso.

Devoção à Santa Beatriz

Santa Beatriz deu ao mundo um testemunho vivo de fé no dogma da Imaculada Conceição de Maria, 400 anos antes da sua declaração oficial pela Igreja. Ela nos ensina a saber esperar as demoras de Deus. Santa Beatriz é a santa da decisão, da força de vontade, da paciência, do perdão, da obediência, da maturidade. Santa Beatriz, ensina-nos a sofrer as demoras de Deus com paciência e fé!


Colaboração Ir. Nilza do Carmo

Nenhum comentário:

Postar um comentário