quarta-feira, 5 de novembro de 2014

O SANTO ROSÁRIO

O nome Rosário vem, como é evidente, de rosa. Em latim medieval, rosarium quer dizer jardim de rosas. E a Virgem Maria é chamada, em certos poemas medievais, jardim de rosas.
                              
 
No Rosário, as Ave-Marias são concebidas como rosas espirituais que o fiel apresenta à Santíssima Virgem, tecendo desse modo, em sua honra, uma coroa de simbólica de rosas, ou em um pequeno chapéu de rosas (daí os termos corona em italiano e chapelet em francês, para designar a terça parte do Rosário; esta terça parte, em português, chama-se Terço, nome pelo qual é habitualmente designada, nos países em que se fala essa língua, a devoção do Rosário).
Como mãe de Jesus Cristo, a Virgem Maria é digna de todo louvor. e por isso os cristãos, desde os primeiros tempos, já saudavam com as palavras do Anjo: "Ave, cheia de graça, o Senhor é convosco".
A estas palavras conjugavam-se as de Santa Isabel, (mãe de São João Batista, precursor do Messias), quando Maria, sua prima, a foi visitar. Conhecendo, por revelação sobrenatural, que esta seria a Mãe de Deus, Santa Isabela saudou-a dizendo: "Bendita sois vós entre as mulheres, e bendito é o fruto de vosso ventre".
Oportunamente a igreja introduziu "Jesus" depois de vosso ventre, e Maria depois do Ave inicial.
No século XII, o uso desta primeira parte da Ave-Maria tornou-se mais frequente, e no século seguinte, várias Ordens religiosas a prescreveram aos seus membros.
No século XIV , começou a ser acrescentada a súplica: "Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós, pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém".
Em 1568, o Papa São Pio V oficializou este acréscimo quando, ao promulgar o Breviário Romano (conjunto de orações e leituras a serem recitadas diariamente pelos sacerdotes), mandou que depois do Pai-Nosso, no início de cada hora do ofício divino, se rezasse também a Ave-Maria.
 
                                    A CONSTITUIÇÃO DO ROSÁRIO
 
Com o passar do tempo, fixou-se o costume de rezar um total de 150 Ave-Marias. Este número corresponde ao de Salmos (poemas religiosos compostos, na maior parte, pelo Rei David).
E como o conjunto dos 150 salmos se chama Saltério, por analogia deu-se às 150 Ave-Marias assim rezadas o nome de Saltério de Maria.
Às Ave-Marias se juntou o Pai-Nosso, a oração perfeita que Jesus Cristo ensinou aos seus discípulos. E, mais
tarde também o Glória ao pai, uma doxologia (fórmula de louvor) à Santíssima trindade: "Glória ao pai, e ao Filho, e ao Espírito Santo, assim como era no princípio, agora e sempre, e por todos os séculos dos séculos. Amém".
Ao iniciar a recitação do Rosário, reza-se o Credo (resumo dos principais artigos da Fé católica) segurando devotamente a cruz.
Na carta Apostólica "Rosarium Virginis Mariae"o Papa João Paulo II enfatiza : "O Rosário é uma oração marcadamente contemplativa dos mistérios de Nosso Senhor Jesus Cristo. Privado desta DIMENSÃO CONTEMPLATIVA perderia o sentido, como sublinhava meu antecessor o Papa Paulo VI quando afirmava: Sem contemplação, o Rosário é um corpo sem alma e sua recitação corre o perigo de tornar-se uma repetição mecânica de fórmulas"...
 
 São Pio X: “O Rosário é a mais bela e a mais preciosa de todas as orações à Medianeira de todas as graças: é a prece que mais toca o coração da Mãe de Deus. Rezai-o todos os dias”.
 
Colaboração: Ir. Nilza do Carmo

Nenhum comentário:

Postar um comentário