sexta-feira, 28 de junho de 2013

Os pais do Deserto e a espiritualidade monástica!

"Antão voltou como de costume à sua própria cela e intensificou as práticas ascéticas. Dia por dia suspirava na meditação das moradas celestiais (cf Jo 14,2), com todo anelo, vendo a breve existência do homem. Ao pensamento da natureza espiritual da alma, envergonhava-se quando devia dispor-se a comer ou dormir ou a executar outras necessidades corporais."


à PAIS DO DESERTO: São Monges que aprofundaram a espiritualidade monástica. Viveram nos primeiros séculos do Cristianismo.
            Esses homens que viviam no deserto, em penitência, foram o alicerce para a estrutura monástica da Igreja e muitos leigos se incentivaram ao aprofundamento da vida espiritual através deles. Um exemplo é Santo Antão (ou Santo Antônio do Deserto), Abade do Deserto.
            Eles primeiro se formavam monges através de um Pai espiritual. Os Abades eram esses Pais espirituais dos monges. Santo Antão viveu dos 18 aos 105 anos nessa vida de solidão e formava alguns discípulos.

            Esse abade viveu na época do concilio de Nicéia, onde quase 80% dos Bispos tinham se deixado levar pela heresia Ariana, que diz que não se pode dizer que o Pai é o mesmo que o Filho. Assim como Jesus é menor que o Pai. O Pai é criatura e o filho criado. Muitos Bispos foram exilados e monges mortos. ß (Por Frei Tiago de São José)

Nenhum comentário:

Postar um comentário